O relator da proposta de reforma da Previdência Social, Arthur Maia.

O relator da proposta de reforma da Previdência Social, Arthur Maia (PPS-BA), divulgou uma nota nesta quinta-feira (18), sobre as denúncias envolvendo o presidente Michel Temer, na qual afirmou não há espaço para avançar com o projeto no Congresso.


Uma das principais prioridades do governo para este ano, a reforma da Previdência apresenta novas regras para a aposentadoria, entre as quais idade mínima de 65 anos para homens e de 62 anos para mulheres poderem direito ao benefício.
O parecer de Arthur Maia sobre a proposta foi aprovado na semana passada pela comissão especial que discutiu o tema e já está pronto para ser votado no plenário da Câmara.
"De ontem [quarta, 17] para cá, a partir das denúncias que surgiram contra o presidente da República, passamos a viver um cenário crítico, de incertezas e forte ameaça da perda das conquistas alcançadas com tanto esforço", diz trecho da nota.
"Certamente, não há espaço para avançarmos com a reforma da Previdência no Congresso Nacional nessas circunstâncias. É hora de arrumar a casa, esclarecer fatos obscuros, responder com verdade a todas as dúvidas do povo brasileiro, punindo quem quer que seja, mostrando que vivemos em um país em que a lei vale para todos", acrescenta o deputado.

Entenda a polêmica

Nesta quarta-feira (17), o site do jornal "O Globo" informou que o empresário Joesley Batista entregou ao Ministério Público Federal a gravação de uma conversa entre ele e o presidente Michel Temer na qual os dois discutiram a compra do silêncio do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).
OUÇA O ÁUDIO DA CONVERSA
Ainda na quarta, o Palácio do Planalto divulgou uma nota à imprensa na qual confirmou que o presidente se encontrou com Joesley Batista em junho, mas negou que os dois tivessem conversado sobre evitar a delação de Cunha.
Após a publicação da reportagem, a reação no Congresso Nacional foi imediata. Parlamentares da oposição e também da base aliada passaram a cobrar a renúncia de Temer e a defender o impeachment.

Nesta quinta, contudo, o próprio presidente fez um pronunciamento, no qual disse que não renunciará à Presidência da República.
Em razão das delações da JBS, o ministro do Supremo Tribunal Federal Luiz Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF, autorizou a abertura de um inquérito para investigar o presidente.

Íntegra

Leia abaixo a íntegra da nota divulgada por Arthur Maia:
Nota à imprensa
Ao longo da semana tivemos a clara impressão de que as inúmeras notícias positivas divulgadas pela imprensa apontavam para um futuro melhor para o nosso país. Não tenho dúvidas de que a expectativa da Reforma da Previdência para a qual trabalhei com tanta determinação, sempre com norte de diminuir privilégios e garantir os benefícios aos mais necessitados, contribuiu para esse cenário de esperança.
De ontem para cá, a partir das denúncias que surgiram contra o presidente da República, passamos a viver um cenário crítico, de incertezas e forte ameaça da perda das conquistas alcançadas com tanto esforço.
Certamente, não há espaço para avançarmos com a Reforma da Previdência no Congresso Nacional nessas circunstâncias. É hora de arrumar a casa, esclarecer fatos obscuros, responder com verdade a todas as dúvidas do povo brasileiro, punindo quem quer que seja, mostrando que vivemos em um país em que a lei vale para todos. Só assim é que haveremos de retomar a Reforma da Previdência Social e tantas outras medidas que o Brasil tanto necessita.
Deputado Arthur Maia (PPS/BA)
Relator da Reforma da Previdência

Fonte: G1

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

  • Últimas Notícias
Presidente do TST e procurador-geral

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Ives Gan

CATEGORIA COMPARECE AO SEMINÁRIO REFORMA

Auditores Fiscais da Receita Estadual figuraram entre as classe

Após longas negociações, novo Refis deve ser votado

A Câmara deve votar nesta 4ª feira (27.set.2017) a medida p

Comentários