Rodrigo Maia marca votação da reforma da Previdência

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), marcou para o período entre 5 e 12 de junho o início das discussões em plenário sobre a proposta de reforma da Previdência (PEC 287/16). Segundo ele, a Câmara tem um compromisso com a recuperação econômica, com a geração de empregos e com a redução da taxa de juros no País. “Precisamos ter todas nossas energias focadas na agenda econômica, que garante desenvolvimento social para todos.” Veiculou a Agência Câmara.

Na primeira manifestação após o Supremo Tribunal Federal autorizar a abertura de inquérito contra o presidente da República, Michel Temer, Maia reconheceu a gravidade da situação. Para ele, a atual crise só poderá ser superada com paciência e com o fortalecimento das instituições, para que cada Poder cumpra o seu papel constitucional.

“A Câmara dos Deputados e sua presidência não serão instrumentos para desestabilização do governo. O Brasil já vive uma crise muito profunda para que esta Casa cumpra um papel de desestabilização maior”, afirmou Rodrigo Maia.

“Neste momento, eu trabalho mais com a relação entre os Poderes, mais com a harmonia, e menos com uma independência que pode gerar desestabilização. Nossa independência é para que tenhamos uma pauta, e é a pauta econômica. O resto vamos trabalhar de forma harmônica”, continuou.

Para Maia, Temer terá oportunidade de se defender durante o inquérito, que apura denúncias dos irmãos Joesley e Wesley Batista, donos do grupo J&F, que controla o frigorífico JBS. A Procuradoria-Geral da República suspeita de corrupção passiva, organização criminosa e obstrução à Justiça.

Fonte: Diap

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

  • Últimas Notícias
Conheça as deliberações do 9º Congresso do Sindifisco

O 9º Congresso do Sindicato do Fisco de Sergipe (Sindifisco)

De olho em 2018, Rollemberg prepara

Começou um novo tempo no Governo do DF. Dizem que ele foi inau

Deficit fiscal de junho deve ser próximo de R$ 20 bilhões

A prévia do resultado primário do governo federal .

Comentários