Sindifisco-MG reivindica suspensão do parecer da AGE

Na sexta-feira, 9 de junho, o Sindifisco-MG encaminhou requerimento à Advocacia Geral do Estado .

Na sexta-feira, 9 de junho, o Sindifisco-MG encaminhou requerimento à Advocacia Geral do Estado reivindicando a revisão e suspensão do parecer nº 15.844/17, em que a AGE se manifesta favorável ao ressarcimento por parte dos servidores de valores recebidos acima do teto remuneratório do funcionalismo estadual antes de 18/11/2015, data de decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o teto constitucional.

No requerimento, dirigido ao advogado-geral Onofre Alves Batista Júnior, o sindicato pede que a AGE suspenda imediatamente a vigência, a eficácia e o cumprimento do parecer e se disponha a reexaminar a questão, concluindo pela desoneração da obrigação dos servidores de repor ou devolver parcelas remuneratórias (verbas de natureza alimentar e de subsistência) recebidas a maior antes de 18 de novembro de 2015.

O Sindifisco-MG alega que os servidores receberam os valores por direito, em regime de boa-fé e confiança legítima na credibilidade de decisões judiciais do Tribunal de justiça de Minas Gerais sobre o tema, inclusive casos julgados pela Corte Superior do TJMG. O sindicato frisa que é injusto e inaceitável que a AGE passe agora a questionar o conceito de boa-fé, estabelecendo requisitos restritivos para caracterizá-la.

Fonte: Sindifisco - MG

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

  • Últimas Notícias
Vereador tenta intimidar auditores fiscais no Espirito Santo

O FOCATE - Fórum das Carreiras Típicas de Estado do Espírito

Alexandre de Moraes: nome sem resistência

O presidente Michel Temer indicou ontem o aliado Alexandre de

Reforma trabalhista: seis mudanças que vão afetar a sua rotina

O presidente Michel Temer sancionou, na semana passada, o pro

Comentários