Sindifisco-MG reivindica suspensão do parecer da AGE

Na sexta-feira, 9 de junho, o Sindifisco-MG encaminhou requerimento à Advocacia Geral do Estado .

Na sexta-feira, 9 de junho, o Sindifisco-MG encaminhou requerimento à Advocacia Geral do Estado reivindicando a revisão e suspensão do parecer nº 15.844/17, em que a AGE se manifesta favorável ao ressarcimento por parte dos servidores de valores recebidos acima do teto remuneratório do funcionalismo estadual antes de 18/11/2015, data de decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o teto constitucional.

No requerimento, dirigido ao advogado-geral Onofre Alves Batista Júnior, o sindicato pede que a AGE suspenda imediatamente a vigência, a eficácia e o cumprimento do parecer e se disponha a reexaminar a questão, concluindo pela desoneração da obrigação dos servidores de repor ou devolver parcelas remuneratórias (verbas de natureza alimentar e de subsistência) recebidas a maior antes de 18 de novembro de 2015.

O Sindifisco-MG alega que os servidores receberam os valores por direito, em regime de boa-fé e confiança legítima na credibilidade de decisões judiciais do Tribunal de justiça de Minas Gerais sobre o tema, inclusive casos julgados pela Corte Superior do TJMG. O sindicato frisa que é injusto e inaceitável que a AGE passe agora a questionar o conceito de boa-fé, estabelecendo requisitos restritivos para caracterizá-la.

Fonte: Sindifisco - MG

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

  • Últimas Notícias
TRE vai julgar Liliane Roriz por compra de votos

Um caso espinhoso para Liliane Roriz (PTB) deverá entrar na pa

CCJ inicia reunião para leitura do parecer de denúncia

Teve início há pouco a reunião da Comissão.

Comentários