Paralisações e ações judiciais são aprovadas pelas carreiras

No próximo dia 10 de novembro será realizado. 

No próximo dia 10 de novembro será realizado o Dia Nacional de Lutas do Funcionalismo com manifestações em diversos Estados e no Distrito Federal contra a MP 805.

 

Indignadas com a Medida Provisória (MP) 805/2017, que posterga os reajustes salariais dos servidores públicos federais de 2018 para 2019, as entidades que compõem o Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) aprovaram em Assembleia Geral realizada nessa quarta-feira (1o) ações judiciais e paralisações nacionais contra a medida.

“Estamos acompanhando o desmonte do serviço público. Essa MP vem jogar na conta do servidor a culpa pela má gestão dos recursos públicos”, afirmou o vice-presidente do Fonacate e presidente da Afipea, Alexandre Cunha.

Assinada pelo presidente Michel Temer na segunda-feira (31/10), a MP prevê, ainda, o aumento da contribuição previdenciária dos servidores de 11% para 14%, para quem ganha acima de R$ 5 mil.

“Vamos unir forças  e atuar no Congresso Nacional para derrubar esse absurdo”, ressaltou o presidente do Sinait e também vice-presidente do Fórum, Carlos Silva.

As entidades irão intensificar o trabalho parlamentar nos próximos dias. Também serão propostas açōes judicias no Supremo Tribunal Federal (STF), uma vez que os reajustes já estão aprovados em lei. E boa parte das carreiras que compõem o Fórum já convocaram assembleias para deliberar sobre paralisações e atos públicos,  a fim se enfrentar mais essa ataque aos trabalhadores do setor público.

No próximo dia 10 de novembro será realizado o Dia Nacional de Lutas do Funcionalismo, com manifestações em diversos Estados e no Distrito Federal, contra a MP 805, a portaria que mudou regras de combate ao trabalho escravo, as privatizações e outras medidas que retiram direitos sociais e trabalhistas.

O presidente do Fonacate, Rudinei Marques, disse que “é hora de ir à luta e vencer esse governo indigno de conduzir o Estado brasileiro. O país está sendo saqueado à luz do dia. Conquistas trabalhistas e sociais estão servindo de moeda de compra de apoio parlamentar. Ou derrotamos esse projeto execrável, ou teremos o maior retrocesso social da nossa história”.

Fonte: Fonacate

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

  • Últimas Notícias
Mensagens mostram que Gim era beneficiário

O ex-senador Gim Argello, condenado a 19 anos de prisão pelo j

SINDSEFAZ-BA: MAIS UM GRANDE MOVIMENTO

Mais um grande movimento protesta contra as reformas de Temer

‘Muito preciosismo’ na negociação do Refis

Líder do governo diz que MP precisa ser votada até fim de a

Comentários