Sindifisco-SE repudia parcelamento de salários dos servidores

Em assembleia extraordinária, na tarde desta terça-feira (9), os auditores.

Em assembleia extraordinária, na tarde desta terça-feira (9), os auditores e auditoras fiscais de tributos repudiaram o anúncio de novo atraso da folha de pagamento e o parcelamento de salários de aposentados da Administração Estadual. Em nota oficial, o governo estadual divulgou que os aposentados e pensionistas cujos vencimentos são acima de R$ 2.500 receberão até esse valor no sábado (13), e o restante devido em data ainda a ser divulgada.

“Dessa forma, o governo estadual insiste em não cumprir com a decisão do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJ/SE). O Colegiado do TJ/SE determinou que o pagamento dos auditores fiscais – e de outras categorias que recorreram com ações similares_ deva ser realizado no mês trabalhado. E o pior, para além de atrasar os salários dos servidores ativos, o estado ainda de forma perversa volta a parcelar os proventos dos aposentados e pensionistas”, critica o presidente do Sindifisco, Paulo Pedroza.   

Indicativo de greve  

Caso o governo estadual deixe de fazer o pagamento de janeiro, no mês trabalhado, a assembleia do Sindifisco aprovou por unanimidade indicativo de greve na Secretaria da Fazenda (Sefaz), a ser deliberado no dia 31 deste mês.  “A nossa categoria volta a cobrar do governo estadual uma política eficaz de incremento da arrecadação do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS). Muito embora a arrecadação dos tributos estaduais tenha crescido no exercício de 2017, em relação a 2016, ela poderia ter aumentado muito mais, caso o governo adotasse medidas que priorizasse o incremento da arrecadação. Potencializando essa arrecadação, a administração poderá honrar o calendário de pagamento dos salários do funcionalismo, bem como melhorar a prestação dos serviços públicos estaduais”, defende o presidente do Sindifisco.

Reforma da Previdência

Durante os informes, o diretor de Relações Intersindicais, Ivan Oliveira repassou informações relativas a agenda de luta em todo o Brasil contra a votação da Reforma da Previdência organizada unitariamente pelas centrais sindicais (CSB, CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central, UGT, CGTB, CSP-Conlutas e Intersindical). No início do mês, dia 8, em nota conjunta, as centrais reafirmaram a posição unitária contra a proposta do governo e convocaram os sindicatos e o povo à mobilização total para derrotá-la. Da jornada de lutas contra o desmonte da Previdência e em defesa dos direitos estão: pressão sobre os deputados em atividades públicas, aeroportos e no congresso nacional.

Fonte: Sindifisco - SE

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

  • Últimas Notícias
TRE vai julgar Liliane Roriz por compra de votos

Um caso espinhoso para Liliane Roriz (PTB) deverá entrar na pa

Servidores comemoram suspensão da reforma

Após intenso trabalho realizado para conscientizar.

Comentários