Paulo Paim critica mudanças na Previdência e em direitos trabalhistas

A história vai mostrar que as presentes e as futuras gerações sentirão os estragos que virão com a reforma da Previdência, afirmou o senador Paulo Paim (PT-RS)  na sexta-feira (22), em Plenário.

Segundo ele, o texto, promulgado neste mês, beneficia apenas os bancos e os rentistas, enquanto os trabalhadores, inclusive os da classe média, passarão a ter benefícios menores, que só virão depois de mais tempo de contribuição.

O senador reconheceu que, em alguns pontos, o Congresso Nacional minimizou os prejuízos aos trabalhadores, ou pode ainda minimizá-los, por meio da PEC Paralela (PEC 133/2019), aprovada pelo Senado e em análise na Câmara dos Deputados. Ele destacou a aprovação, pelos senadores, de uma regra de transição, para que a fórmula de cálculo do benefício sugerida pelo governo, com base na média de todas as contribuições, passe a valer apenas a partir de 2025.

— Sei que outros combates virão. Está aí o pacote verde e amarelo (MP 905/2019). São 135 mudanças na CLT. É outra reforma trabalhista. E já falam que virá uma outra ainda, que há um grupo de técnicos, identificados com o governo, que já está estudando a terceira reforma trabalhista, num período tão pequeno. Teve uma no governo Temer, outra neste ano e já falam em outra para o ano que vem — lamentou.

Fonte: Agência Senado

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

  • Últimas Notícias
Serviços do Fisco alagoano atraem visitantes

Aprimorar os serviços fazendários continua sendo.

Conselho Sindical definirá novo calendário de luta

Acontece nesta quinta (24) o Conselho Sindical do Sindsef

Comentários