O presidente do Sinafite – DF, Adalberto Imbrosio se reuniu com o Presidente da ACDF, Cleber Pires

O presidente do Sinafite – DF, Sindicato da Carreira de Auditoria Tributária, Adalberto Imbrosio se reuniu na manhã desta Terça feira dia 12.07.2016 com o Presidente da Associação Comercial do Distrito Federal - ACDF, Cleber Pires.

 

O encontro teve como objetivo abordar a consequência do fechamento dos Postos Fiscais Rodoviários da BR 040 e da BR 060 e desmantelo da Fiscalização de Mercadorias em Trânsito para o setor produtivo do DF, principalmente no tocante à empregabilidade, para a economia local e para arrecadação do ICMS.

 

O presidente do Sinafite-DF, Adalberto Imbrosio Oliveira, afirma que a medida prejudicará o recolhimento do ICMS. “Quem perde é a sociedade, por isso não concordamos com o fechamento dos postos e com o enfraquecimento da Fiscalização de Mercadoria em Trânsito.” Segundo ele, o fato de o DF ser uma unidade da Federação essencialmente importadora, além de corredor de ligação entre as regiões Sul-Sudeste a Norte-Nordeste, reforça a necessidade de uma fiscalização mais efetiva, ostensiva.

 

Para o Sindicato a adoção dessa medida sem um estudo do impacto e sem a apresentação efetiva de qualquer proposta que possa superá-la é completamente descabida e irresponsável.

 

Por ano, em média, são recolhidos no Distrito Federal R$ 8 bilhões apenas com o Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre a Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS).

 

A Secretaria de Fazenda justificou a medida de fechamento dos postos em razão da economia mensal com água de R$ 2.745,00 e com energia de R$ 6,230,00, além do adicional noturno dos auditores fiscais que atuavam nos dois Postos Fiscais fechados, que somente de janeiro a junho do ano corrente somam R$ 401 mil reais.

 

Assim, a “economia total do governo anunciada pelo Secretário de Fazenda” com água, energia e adicional noturno em 6 meses será de R$ 454.850,00. No entanto, os números produzidos dizem que somente no período de janeiro a junho deste ano os dois postos fiscais que foram fechados constituíram de crédito tributário o valor de R$ 18.166.655,95, ou seja, mais de 18 milhões, isso sem levar em consideração tudo que foi recolhido somente pela presença desses dois Postos Fiscais funcionando de forma ininterrupta, o que Imbrosio chama de arrecadação estimulada, que não é mensurada.

 

"Quando você não investe no Fisco quem perde é o Estado e a sociedade a quem este serve. Se não é feito um investimento para melhorar a arrecadação, coibir a sonegação com vistas à prática da justiça fiscal, a perda passa a ser uma consequência natural, por isso o sindicato cobra uma revisão em relação ao fechamento dos Postos Fiscais Rodoviários da BR 040 e da BR 060 e do desmantelamento de toda a Fiscalização de Mercadorias em Trânsito do DF", conclui o sindicalista.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

  • Últimas Notícias
Ajuste fiscal pode ser chance para deixar os impostos mais justos

Ministro vê "completa falência" do sistema tributário. 

Governo negocia com centrais sindicais

Planalto aceita mudar reforma nas relações do trabalho por

Após 22 meses, Brasil volta a gerar empregos

O Brasil criou 35.612 empregos com carteira assinada em feverei

Comentários