O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou nesta terça-feira (1º) que quer evitar a “antecipação do

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou nesta terça-feira (1º) que quer evitar a “antecipação do debate” pela presidência da Casa para, segundo ele, não “embaçar” o cronograma de votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que estabelece um teto para os gastos públicos federais.

O mandato de Renan no comando do Senado se encerra em fevereiro de 2017. De acordo com o peemedebista, a pauta da eleição interna só será debatida em janeiro.

“Nós só vamos tratar da eleição para a Presidência do Senado em janeiro. Nós não devemos fazer absolutamente nada que possa embaçar, dificultar esse calendário que está estabelecido, com apoio dos líderes, de votação da PEC dos gastos públicos”, destacou Renan ao final de uma reunião da mesa diretora do Senado.

“Nós não vamos, de forma nenhuma, permitir a antecipação desse debate. Discussão sobre presidência do Senado só em janeiro, depois de nós concluirmos este ano legislativo”, acrescentou.

Nesta terça, o relator da PEC do teto dos gastos públicos, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), apresentou à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) um parecer favorável à aprovação da proposta que estabelece um limite para as despesas públicas nos próximos 20 anos.

Eunício é um dos pré-candidatos à sucessão de Renan Calheiros. Em entrevistas recentes, o atual presidente da Casa vinha elogiando a possibilidade de o colega de partido presidir o Senado. No entanto, nesta terça, ele evitou falar em potenciais candidatos.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

  • Últimas Notícias
Não há espaço para avançar com a reforma

O relator da proposta de reforma da Previdência Social, Arth

Arrecadação do GDF em 2016 foi R$ 1,1 bilhão

O discurso do Governo do Distrito Federal (GDF) sobre a falta d

Câmara de Brasília aprova reforma da Previdência

A Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou .

Comentários