Desembargadores aceitam denúncia contra distritais

O relator do processo da Operão Drácon no Tribunal de Justiça do DF e dos Territórios (TJDFT), desembargador José
O relator do processo da Operão Drácon no Tribunal de Justiça do DF e dos Territórios (TJDFT), desembargador José Divino de Oliveira, aceitou a denúncia contra os cinco deputados suspeitos. "Os indícios são, no mínimo, suficientes", destacou. Ele começou a votar às 17h20 desta terça-feira (21/3), após a defesa de 15 minutos para cada um dos advogados dos parlamentares. O desembargador disse que a denúncia descreve os fatos "de maneira pormenorizada", o que seria suficiente para o recebimento. A maioria dos juízes aceitou a denúncia contra cinco dos distritais investigados na Drácon. São eles: Celina Leão (PPS), Cristiano Araújo (PSD), Bispo Renato (PR), Júlio César (PRB) e Raimundo Ribeiro (PPS).
 
 
 
Os desembargadores foram unânimes ao aceitar a denúncia contra os quatro primeiros distritais, no entanto, 12 aceitaram e cinco rejeitaram a denúncia contra Raimundo Ribeiro. Após o voto do relator, o desembargador Roberval Belinati também acatou o pedido do Ministério Público. "A apuração do destino da propina vem sendo feita nos autos de procedimento de investigação criminal em curso", diz Roberval Belinati, o segundo a votar. Ele lê um resumo de seu voto de 19 páginas. São 17 presentes e o presidente, desembargador Mário Machado. Bastavam nove votos para que haja maioria para aceitar a denúncia.
 
 
Já o desembargador Arnoldo Camanho aceitou a denúncia contra Celina, Cristiano, Bispo Renato e Júlio César, mas indeferiu o pedido contra Raimundo. "Rejeito a denúncia por falta de justa causa no caso de Raimundo Ribeiro", declarou. "É preciso que a denúncia tenha exposto de maneira minimamente pormenorizada a atribuição da acusação. Isso não aconteceu no caso de Raimundo Ribeiro."
 
 
Em seguida, a desembargadora Simone Lucindo acompanha o voto do relator. João Timóteo vai na linha dos demais colegas e o placar fica 5x0 contra os quatro distritais e 4x1 contra Raimundo Ribeiro. João Egmont segue a divergência. Ele recebeu a denúncia contra os quatro e rejeitou do Raimundo Ribeiro. Fica, portanto, 6x0 para os quatro deputados e 4x2 no caso de Raimundo.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

  • Últimas Notícias
CPI da Previdência ouve especialistas em Direito Tributário

A CPI da Previdência ouve em audiência pública nesta quint

Reforma tributária e previdência são destaques

Em sua 180ª edição, a reunião extraordinária do Conselho D

Comentários